Por que animais?

Sempre que conhecem meu trabalho me perguntam: mas por que animais? E por que só animais?

A resposta é simples: é o que eu sei fazer, o que eu gosto de fazer, o que tem de ser. Desde que me entendi por gente disse que ia ser veterinária (médica de bichos, na verdade), e desde que aprendi a desenhar saí desenhando bichinhos.

Mais tarde me aventurei um pouco pela escultura, e também modelava animais. Quando resolvi aprender ourivesaria nem me passou pela cabeça que eles iam tomar conta do meu trabalho de novo, mas já na primeira peça que fiz para aprender a recortar em chapa fiz um retrato da minha frenchie Kaila – daí pra seguir desenvolvendo a técnica e criar soluções para conseguir representar cada vez melhor os peludos através da personalização foi um caminho natural.

Ninguém fazia nada parecido, tive que quebrar a cabeça e inventar maneiras de desenhar com recortes sem quebrar ou enfraquecer a peça, e aos poucos fui adquirindo um estilo todo próprio. Infelizmente tive meu trabalho copiado literalmente mais de 100 vezes – fora as imitações – e a cada cópia que encontrava a sensação era horrível. Depois de sofrer um infarto por um desses casos especialmente estressantes e passar uma semana na UTI, consegui me tornar zen e relevar (era isso ou morrer), e acabei percebendo que cópias e imitações são só isso – não tem a minha razão nem a minha verdade, a minha “necessidade” de fazer o que faço, o amor e a compreensão pelos animais e seus pais humanos que trago da minha primeira profissão e da minha infância.

Assim, sigo fazendo as joias personalizadas que todo mundo conhece, sempre inteiramente a mão – já experimentei fazer cortadas a laser para um pedido muito grande, mas o resultado não é nem de longe parecido, falta algo de orgânico, o brilho é chapado e a espessura muito fina. Então elas seguem como sempre foram – artesanais do desenho à limpeza final.

Mas, como agora as joias personalizadas já não são novidade, resolvi fazer também coisas diferentes. Estou lançando em pequenos lotes várias raças e espécies em mini pingentes 3d, que são esculpidos por mim e enviados para fundição. Recebo de volta as peças brutas e faço o desbaste, soldo as argolas e faço o acabamento com jato de areia, que fica fosco fazendo um contraste muito interessante com o brilho da argola e da corrente. Estou amando modelar cada bichinho! A outra novidade são as fivelas, também desenhadas e modeladas por mim e fundidas em metalúrgica com acabamentos diversos, para serem usadas em cintos 100% couro feitos artesanalmente com maestria por um parceiro muito especial.

Logo vou mostrar um pouco dos processos de criação e produção dessas novas preciosidades, espero que sejam também muito apreciadas e valorizadas!

Beijos e obrigada por passar por aqui! ❤️

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *